Ofício n. 020/ SINFARMIG - Secretário Municipal de Saúde de Belo Horizonte

Comunicação

                     SINDICATO DOS FARMACÊUTICOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS

 

 

 

Ofício n. 020/ SINFARMIG 

                                                            Belo Horizonte, 09 de fevereiro de 2021.

 

Ao Sr. Secretário Municipal de Saúde de Belo Horizonte 

Dr. Jackson  Machado Pinto

 

C/C: 

Taciana Malheiros Lima Carvalho - Secretária Municipal Adjunta de Saúde

Dr. Fabiano Pimenta – Subsecretário de Promoção e Vigilância à Saúde

Carla Anunciatta de Carvalho – Presidente do Conselho Municipal de Saúde

 

 Senhor Secretário,

 

Ao cumprimentá-lo, vimos em nome do Sindicato dos Farmacêuticos do Estado de Minas Gerais – Sinfarmig, apresentar os argumentos que seguem e ao final expor nossa solicitação, a saber:

É de conhecimento público e já evidenciado cientificamente, o elevado grau de transmissibilidade do coronavírus, causador da doença COVID-19,  colocando em risco  profissionais de saúde  no pleno exercício de suas atividades profissionais, tão essenciais neste momento;

As estatísticas de casos confirmados pelo coronavírus no Brasil na data de 08 de fevereiro de 2021 apresentam 9.524.640 pessoas contaminadas para uma população de  212 milhoes, representando percentual de 4,49% de casos. 

A Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte divulgou em seu sítio eletrônico (09/02/2021) uma sequência de grupos de pessoas a serem priorizados, como vemos a seguir: 

 “Prefeitura de Belo Horizonte estipulou uma sequência para a vacinação contra Covid-19 de grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde. A ordem está sujeita a alteração, assim como os grupos podem ser fragmentados dependendo do quantitativo de doses disponibilizadas à capital.

 1 - Trabalhadores de Saúde de hospitais públicos e privados, UPA’s e SAMU (em andamento)

2 - Trabalhadores da Saúde (APS) e de Cersams (em andamento)

3 - Pessoas com 60 anos (ou mais) institucionalizadas (em andamento)

*residentes em instituições de caráter residencial, destinadas ao domicílio coletivo de pessoas com idade igual ou superior a 60 anos, com ou sem suporte familiar e em condições de liberdade, dignidade e cidadania. Dado: ANVISA.

4 - Pessoas institucionalizadas, com deficiência (em andamento)

*indivíduos a partir de 18 anos, com sequelas que moram em instituições de caráter residencial. 

5 - Idosos com 89 anos ou mais e trabalhadores que atuam em laboratórios, clínicas oncológicas e hematológicas, serviços de hemodiálise, clínicas de imagem, serviços da 

atenção secundária, atenção domiciliar e de especialidades do SUS-BH, equipamentos da saúde mental e hospital dia (em andamento)

6- Demais trabalhadores da Saúde residentes em Belo Horizonte com registro ativo no CNES (Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde) 

7- Pessoas de 75 anos e mais; e acamados

8 - Pessoas de 60 e mais 

9 - Pessoas com comorbidades

10 - Pessoas com deficiência permanente grave

11 - Pessoas em situação de rua

12 - Povos indígenas e quilombolas 

13 - Forças de Segurança e Salvamento, funcionários do sistema de privação de liberdade e população privada de liberdade

14 - Trabalhadores de Transporte Coletivo Rodoviário de Passageiros Urbano e de Longo Curso

15 - Trabalhadores de Transporte Metroviário e Ferroviário

16 - Trabalhadores de Transporte Aéreo

17 - Trabalhadores da educação*

18 - Caminhoneiros

19 - Trabalhadores Industriais

*O grupo de trabalhadores da educação pode ser priorizado de acordo com reabertura das escolas.”

Os trabalhadores da Unidade de Dispensação de Medicamentos do Programa  Estadual “Farmácia de Minas”, localizada na Av. do Contorno,  nº 8495, Bairro Santo Agostinho em Belo Horizonte, portanto, situando-se na área de abrangência da SMSBH, encontram-se numa espécie de “limbo vacinal” já que não estão previstos nesta relação seqüencial e também sem nenhuma manifestação por parte da SES-MG, neste sentido. 

Importante destacar que a Unidade “Farmácia de Minas” da Av. do Contorno, atende em média, 2000 pacientes por dia (no dia de ontem, 09/02/2021, foram 2.203 pessoas) além de atenderem os funcionários de clínicas de Hemodiálise e as secretarias de Saúde de municípios da Região Metropolitana que buscam rotineiramente os medicamentos, sem nenhuma exclusão de atendimento, pelo contrário, todas as pessoas são atendidas, como deve ser.

Numa analogia ao percentual 4,5% de casos confirmados da Covid-19 no País, podemos  inferir que a cada dia, possivelmente, cerca de 90 pacientes contaminados pelo coronavírus são atendidos pela equipe que trabalha nesta Unidade. Portanto, não temos dúvidas que trata-se de uma atividade de elevado grau de risco de contaminação e portanto, estes trabalhadores devem ser incluídos no rol de Prioridade à vacinação.     

Observamos que trata-se de cerca de 240 trabalhadores, entre farmacêuticos (as) , técnicos e auxiliares, que trabalham das 07 às 18 00 hs de segunda a sexta-feira, de forma dedicada em prol da nossa população e que  ao nosso ver, é  número passível de inclusão de prioridade à vacinação sem causar transtorno à programação já estabelecida no plano de vacinação.

Face ao exposto Sr. Secretário,  solicitamos a pronta inclusão da equipe de trabalhadores da Unidade de Dispensação de Medicamentos “Farmácia de Minas” da Av. do Contorno, BH, no Rol de priorização dos trabalhadores de saúde a serem vacinados corrigindo-se assim, a tempo e a hora, falha existente neste planejamento mas, sobretudo, possibilitando que esta aguerrida equipe de trabalhadores e trabalhadoras seja protegida pela tão esperada vacina anti-covid  e assim também proteja os milhares de pacientes que acorrem à esta Unidade diariamente.  

No aguardo de vosso acolhimento à esta solicitação, agradecemos.

Com votos de estima e consideração, 

Atenciosamente,

 

 

 

Rilke Novato Públio

Pela Diretoria do Sindicato dos

 Farmacêuticos de MG - SINFARMIG

Console de depuração do Joomla!

Sessão

Informação do perfil

Memória Utilizada

Consultas ao banco