SAÚDE EM BETIM VAI PARAR

Notícias


Assembléia decide por paralisação de 24 horas. SINFARMIG apóia a decisão      

Em assembléia realizada hoje, 7 de março, no Hospital Regional de Betim, trabalhadores da saúde  do Município, filiados ao SindSaúde-Betim, decidiram entrar em greve a partir da próxima quinta-feira, dia 13, caso não haja negociação com o Governo.


Ficou acordado que na próxima terça, dia 11, os representantes do Sindicato e trabalhadores se reunirão na Câmara de Vereadores de Betim para negociar o reajuste de 26,44%, referente a perdas salariais.

A pauta de reivindicações inclui ainda isonomia salarial, adicional de urgência, emergência e deslocamento, regulamentação de pagamento de horas extras, melhoria das condições de trabalho e segurança, entre outras.

Caso a pauta não seja aprovada, a paralisação começará no dia 13 com uma passeata pelas ruas da cidade, podendo iniciar greve, que se estenderá até que haja negociação.

Segundo Berenice Freitas, representante do SindSaúde-Betim, a intransigência do Governo e a falta de diálogo com os trabalhadores forçou essa situação. “Sabemos que a Prefeitura de Betim possui recursos para melhorar a saúde, a ainda assim os governantes se negam a ouvir nossas reivindicações. Estamos enviando ofício ao Ministério da Saúde para que a prefeitura não alegue que não foi avisada”, afirmou. Berenice disse ainda que os trabalhadores precisam se sentir coagidos, pois a greve é um direito da categoria.

O diretor do SINFARMIG, Rilke Novato esteve presente e reinteirou o apoio do Sindicato à causa. “A população de Betim necessita do atendimento, que não pode continuar sendo realizado dessa forma, sem condições dignas para o trabalhador”, disse.

O SINFARMIG apóia na integralidade de pauta de reivindicações dos servidores de Betim. Acompanhe em nosso site os avanços nas negociações.