Colega Farmacêutica/o! não se oponha a existência do Sindicato!

 O Sinfarmig atravessa situação crítica, “se virando nos trinta” para não fechar as portas!

Sua única fonte de receita é a chamada “taxa negocial” que só é solicitada à categoria beneficiada após concretizada uma negociação coletiva.

No entanto, uma verdadeira “enxurrada” de manifestações por parte das/os colegas se opondo à essa contribuição causou-nos imensa e triste surpresa.

Não sabemos se é orientação dos patrões para acabar de vez com o sindicato ou se trata de completa desinformação das/os colegas sobre a importância da existência da entidade sindical. Então cabe esclarecer:

     1)      O Sinfarmig não recebe absolutamente nenhuma subvenção de governo nenhum nem do CRFMG, ajuda de custo, taxa de apoio...NADA, DE NENHUMA INSTITUIÇÃO;

 

    2)      O cadastro de filiadas/os do Sinfarmig conta atualmente com cerca de apenas  87 (oitenta e sete) filiadas/os em dia, que contribuem com anuidade de R$ 150,00, totalizando uma arrecadação de R$13.050,00 (treze mil e cinquenta reais), em um universo de mais de 40 (quarenta) mil farmacêuticas/os no estado de Minas Gerais, ou seja,  correspondendo a 0,21% (zero vírgula vinte e um por cento) do total de colegas.

    3)      Apesar das perdas com a reforma trabalhista, o Sinfarmig tem a obrigação, por ofício, de responder pela defesa da categoria, sobretudo nas negociações coletivas, todos os anos. E vem fazendo isso em quase todos os setores da profissão. Em 2023 já foram encerradas as negociações com a indústria farmacêutica, com farmácias, drogarias e distribuidoras e estão sendo negociadas convenção e acordos com setor hospitalar.

     4)      Destacamos que a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) estabelecida para o setor de farmácias, drogarias e distribuidora, temos fixado já há mais de três décadas, o Salário de Ingresso (Piso Salarial, atualmente com valor de R$  5.890,88 para jornada de 44 hs/semanais), que contempla as/os farmacêuticas/os que atuam no setor de farmácias, drogarias e distribuidoras e que para este setor, tem força de lei, ou seja, o pagamento deste valor  como remuneração mínima é OBRIGATÓRIO.

     5)      Este valor acaba servindo de referência para os demais setores onde ainda, infelizmente, não conseguimos estabelecer o salário de ingresso (Piso Salarial), inclusive para editais de concursos em prefeituras;

 

No entanto, após fechar esta convenção, o Sinfarmig vem recebendo carta de oposição apresentada por muitas/os colegas ao desconto da taxa negocial, que é solicitado como uma forma de fazer com que o sindicato sobreviva e continue existindo e resistindo em defesa de condições justas de trabalho e salários minimamente dignos.

Destacamos que em assembleia realizada com a categoria farmacêutica no início das negociações, aprovou esta contribuição a ser descontado uma única vez ao ano, no valor de R$ 120,00 ser pago pela/o farmacêutica/o, após encerrada a negociação.

Observamos que, não existindo o Sinfarmig, não haverá negociação coletiva e por consequência, perderemos o Piso Salarial, as recomposições das perdas inflacionárias, todas as cláusulas conquistadas.

Os reajustes salariais, se houverem, serão negociados individualmente...ou seja, viveremos a barbárie trabalhista...o que já vem acontecendo em alguns setores, conhecido como “uberização do trabalho = precarização das relações trabalhistas. O fim dos sindicatos representa o fim de condições mínimas, dignas à classe trabalhadora.

 Apelamos às/os colegas farmacêuticas/os! Vamos fortalecer nossa profissão! Contribuam com o Sinfarmig para que ele exista e consiga defender a categoria superando os diversos ataques que ela vem sofrendo!

O Sindicato só existe com a participação da categoria!

Somente unidas/os seremos fortes!

  

 

 

 

Colegas farmacêuticas e farmacêuticos,

Em mais um ano de extrema dificuldade de negociação com sindicato patronal, devido sua intransigência, em não negociar cláusulas de relevância para a categoria farmacêutica além de questões econômicas, o Sinfarmig encerrou as negociações em reunião de mediação com Ministério do Trabalho, na tentativa de avançar em pontos primordiais, com destaque, o compromisso das entidades sindicais de discutirem durante a vigência do instrumento coletivo o adicional de procedimento e o aumento real com vistas à negociação da data base março/2024.

Confira alguns pontos de destaque da nova CCT (2023/2024):

1)    Reajuste de salário do INPC referente a data-base de marco em 5,47%, fixando o piso salarial para jornada de 40 horas semanais em R$5.355,35 (cinco mil trezentos e cinquenta e cinco reais e trinta e cinco centavos)

As eventuais diferenças salariais decorrentes da aplicação da presente Convenção Coletiva de Trabalho, relativas aos meses de março a junho de 2023, serão pagas, sem acréscimos ou penalidades, da seguinte forma:

As diferenças salariais dos meses de março e abril poderão ser pagas juntamente com o salário do mês de julho de 2023;

A diferença salarial do mês de maio de 2023 poderá ser paga juntamente com o salário do mês de agosto de 2023;

A diferença salarial do mês de junho de 2023 poderá ser paga juntamente com o salário do mês de setembro de 2023;

2)    Fica estabelecido entre as partes que a partir de 1º de março de 2023, os salários dos farmacêuticos que recebem valor mensal superior ao salário da categoria previsto no caput desta cláusula sofrerão a incidência de aumento no percentual de 5,47% (cinco vírgula quarenta e sete por cento).

Veja o quadro com salário proporcional para demais cargas horárias:

1ª de MARÇO/23

20h-R$2.677,67

30h-R$4.016,51

40h-R$5.355,35

44h-R$5.890,88

Hora Normal        - R$26,78

Hora Extra 50%   - R$40,16

Hora Extra 100% - R$53,55


Acesse 
aqui a CCT 2023 -

A SAÚDE EM BETIM PEDE SOCORRO URGENTE!!

 

As denúncias de maus tratos e descaso com a saúde em Betim viraram notícias corriqueiras na imprensa em Minas! Falta de tudo para a assistência à saúde das pessoas. Quadro reduzido ou inexistentes de profissionais em todos os níveis de atenção, sobretudo, na Atenção Primária de Saúde. Pronto Socorro do Hospital Regional e Unidades de Pronto Atendimento abarrotados de pacientes pelos corredores, aguardando atendimento em cadeiras, com demora de quase o dia inteiro.  Esta situação vem se arrastando já há bastante tempo. Em fevereiro deste ano a prefeitura já tinha decretado oficialmente situação de calamidade pública na saúde no município. De lá para cá, a situação se agravou mais ainda. A população betinense está pagando com adoecimento e mortes a gestão errática, irresponsável do desmonte do serviço público de saúde com terceirizações da grande parte da assistência, da não realização do concurso público, do aumento da precarização da relação de trabalho com as trabalhadoras/es do SUS Betim.

Até quando irá persistir essa situação trágica em um município que detém umas das maiores receitas do estado? Vamos ficar aguardando mais descaso, adoecimentos e mortes? O povo pede socorro!!!!

 

Centenário da Associação Mineira de Farmacêuticos

 

A Associação Mineira de Farmacêuticos (AMF) completou 100 anos no final de 2022, e realizou um evento comemorativo na última sexta-feira, 12 de maio de 2023 na sede do Conselho Regional de Farmácia de Minas Gerais. O evento reuniu grandes personalidades da farmácia que tiveram atuação ímpar no fortalecimento da profissão farmacêutica no Estado e no Brasil.

A proposta era celebrar o centenário dessa entidade que por vários anos foi órgão máximo de representação dos farmacêuticos mineiros, tendo viabilizado nos anos 60 e 70 a criação do Conselho Regional de Farmácia, do Sindicato dos Farmacêuticos do Estado de Minas Gerais e do Clube Topázio . Atualmente, seu principal objetivo é o aprimoramento técnico científico. A AMF já desenvolveu diversos cursos de atualização e aperfeiçoamento, e também formou 19 turmas de especialização em parceria com renomadas instituições de ensino. Houve turmas em Farmácia Hospitalar e Serviços de Saúde, Atenção Farmacêutica e Farmácia clínica e Farmácia Clínica e Farmacologia Aplicada à Prática Clínica, tendo mais de 600 egressos.

 

A presidente da AMF, Dra Amanda Fonseca Medeiros, abriu o evento ressaltando sobre a necessidade de união das entidades e dos profissionais pela luta por valorização da categoria - tanto financeira, dos direitos e do prestígio social, destacando que se darão naturalmente com cada vida impactada cotidianamente por estes profissionais.

Além disso, o evento discutiu dilemas dessa profissão milenar, que caminha das boticas à inteligência artificial. A professora doutora, Mariana Martins Gonzaga do Nascimento foi ao púlpito falar sobre as transformações da área farmacêutica e as novas habilidades exigidas desses profissionais. Já a economista e Linkedin Top Voice, Amanda Graciano, ponderou sobre a revolução tecnológica como paradigma de construção (e desconstrução) das empresas e das profissões.

Diante do ilustríssimo público, sucedeu-se um momento único e intenso, com homenagens a farmacêuticos representantes de entidades parceiras da AMF ao longo desses anos, diretores e colaboradores de gestões anteriores da Associação, além de professores e mestres que caminharam lado a lado deixando suas impressões digitais nessa história. 

O evento possibilitou encontros, sorrisos e conexões memoráveis, inaugurando um novo ciclo que esperamos durar mais 100 anos! Vida longa à AMF!

 

Mais Artigos...