Farmacêuticos reunidos em animado jantar dançante celebram esta data tão especial   

 

A comemoração solidária já faz parte das comemorações do Dia do Farmacêutico. Além da Campanha de Doação de Córneas, a categoria celebrou seu dia em um animado jantar dançante, que aconteceu no último sábado, dia 19, no restaurante Rancho Fundo.

Durante a oportunidade, os representantes do SINFARMIG, AMF, Anfarmag e do CRF-MG, discursaram parabenizando os profissionais pela data e lembrando osdesafios que ainda estão por vir na profissão.

O ponto alto da noite ficou por conta da bela homenagem prestada ao professor Aloísio Pimenta, grande ícone da profissão. Em seu discurso, o professor lembrou a importância de ser farmacêutico, as responsabilidades do profissional e fez um apelo a toda a categoria para lutar contra a proliferação das faculdades de farmácia pelo país.


Sindicato reúne categoria

 

No dia 19 de fevereiro, o SINFARMIG reuniu a categoria para esclarecer dúvidas sobre o Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados (SNGPC).

Durante o Evento, realizado na Escola de Direito da UFMG, o representante da Anvisa, Pedro Ivo Sabba Ramalho, esclareceu dúvidas dos farmacêuticos presentes, que não eram poucas.

As questões mais pontuais foram a respeito do cadastramento do estabelecimento e substituição do farmacêutico responsável. Pedro Ivo ressaltou a importância dos profissionais conhecerem as RDC’s da Anvisa e procurarem orientação na própria Agência e no site do SNGPC antes de utilizar o sistema.

“Muitas perguntas que recebemos via e-mail para serem esclarecidas hoje estão disponíveis no site. È fundamental que o farmacêutico tenha conhecimento de todo o processo para utilizar corretamente o SNGPC”, afirmou. Pedro disse ainda que nessa fase de implementação do sistema, alguns erros ou falhas podem acontecer, e que devem ser reportadas a Anvisa.

Dados sobre SNGPC no Brasil: Cerca de 49 mil estabelecimentos habilitados Aproximadamente 20 mil com inventário – sendo cerca de 5 mil com inventário aberto e 14 Mil com inventário confirmado.

Em Minas Gerais: Cerca de 7.200 estabelecimentos habilitados. Aproximadamente 3.700 com inventário – sendo 850 com inventário aberto e 2850 com inventário confirmado.

Governo Federal cria novas oportunidades para Farmacêuticos no serviço público

Para ampliar o atendimento e a qualidade dos serviços do SUS, o Ministério da Saúde está ampliando o leque de opções oferecidas aos usuários da Atenção Básica.

Além dos profissionais que já vêm prestando atendimento nas Unidades Básicas de Saúde, a partir de agora, e contando com a decisão dos gestores locais, outros profissionais que trabalham com a promoção e prevenção da saúde, também estarão ao acesso da população.
 
A responsabilização compartilhada entre as Equipes de Saúde da Família e a equipe dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) na comunidade prevê a revisão da prática do encaminhamento com base nos processos de referência e contrarreferência, ampliando-a para um processo de acompanhamento longitudinal de responsabilidade da equipe de Atenção Básica/Saúde da Família, atuando no fortalecimento de seus atributos e no papel de coordenação do cuidado no SUS.

Serão criados nos moldes da portaria, que segue anexa, os NASF 1 e 2, com as seguintes linhas gerais:

NASF 1: Introduzidos com repasse de R$ 20 mil mensais e compostos por, no mínimo, cinco profissionais de ocupações não-coincidentes, entre elas: médico

acupunturista, assistente social, professor de educação física, farmacêutico, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, médico ginecologista, médico homeopata, nutricionista, médico pediatra, psicólogo, médico psiquiatra e terapeuta ocupacional.

Cada NASF 1 estará ligado a cerca de oito a 20 Equipes de Saúde da Família. À exceção de Estados do Norte, nos quais, o mínimo é de 5 ESF.

NASF 2: Introduzidos somente nos municípios que tenham densidade populacional abaixo de 10 habitantes por quilômetro quadrado, de acordo com dados da

Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), ano base 2007, com repasse de R$ 6 mil mensais e compostos por, no mínimo, três profissionais de ocupações não-coincidentes, entre elas: professor de educação física, farmacêutico, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, nutricionista, psicólogo e terapeuta ocupacional.

Segundo a Portaria 154, as verbas para manutenção dos NASFs 1 e 2 correrão "por conta do orçamento do Ministério da Saúde, devendo onerar o Programa de trabalho 10.301.1214.20AD - Piso de Atenção Básica Variável - Saúde da Família".

A composição de cada um dos NASF será definida pelos gestores municipais, seguindo os critérios de prioridade identificados a partir das necessidades locais e da disponibilidade de profissionais de cada uma das diferentes ocupações.

A portaria ainda recomenda que cada Núcleo de Apoio à Saúde da Família conte com, pelo menos, um profissional da área de saúde mental. A Portaria MS nº 154 estabelece que a “ assistência farmacêutica no NASF visa fortalecer a inserção da atividade farmacêutica de forma integrada às equipes de Atenção Básica/Saúde da Família, cujo trabalho buscará garantir a população o efetivo acesso e a promoção do uso racional de medicamento”.
 
Está é uma boa notícia e oportunidade para todos nós farmacêuticos e mostra que temos espaço a conquistar. Basta agora que lutemos para nos vermos inseridos nesse espaço de forma eficaz e definitiva.
 
Nós do SINFARMIG, conclamamos a todos farmacêuticos e farmacêuticas a procurar os gestores do SUS do Município que residem, o Conselho Municipal de Saúde e as forças políticas locais para juntos podermos discutir a importância da inserção do farmacêutico nessa nova realidade.
 

Avante Farmacêuticos!!

Veja a Portaria na integra: 
http://dtr2004.saude.gov.br/dab/docs/legislacao/portaria154_24_01_08.pdf


Pelo segundo ano consecutivo, categoria comemora o Dia do Farmacêutico de forma solidária


No dia 18 de janeiro, a categoria farmacêutica reuniu-se em prol da campanha de doação de córneas intitulada “Preserve a vida. Seja um doador”.

Na oportunidade a psicóloga do MG Transplantes, Andréa Chagas, esclareceu dúvidas e aprofundou sobre o tema doação de órgãos.


De acordo com Andréa o MG Transplantes tem feito muitas campanhas que têm dado resultado. “No ano de 2007 tivemos o segundo melhor número de transplantes dos últimos dez anos, perdendo apenas para o ano de 2004, em que campanhas na grande mídia e novelas influenciaram o resultado positivo”, disse.

A campanha icontou com o apoio de várias entidades, dentre elas o SINFARMIG, que tem como objetivo estimular os farmacêuticos no seu ambiente de trabalho a divulgar a importância da doação de órgãos.

Mais Artigos...