O projeto do Sinfarmig que visa estimular a cultura está no ar neste semestre. Os farmacêuticos mineiros que gostam de cinema e apreciam uma seleção mais que especial de filmes não podem ficar de fora das sessões que serão projetadas no Cinema Belas Artes de Belo Horizonte.  

 

O projeto Cine Sinfarmig oferece gratuitamente um par de ingressos para os farmacêuticos sindicalizados em dia. A promoção é válida para todos os filmes que estão em cartaz sem restrições de dias e horários. 

 

A promoção é limitada ao número de convites e cada farmacêutico tem direito a dois por mês. Quem se interessar deve comparecer a sede do Sinfarmig e apresentar documento de identificação de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h. 

 

Confira a programação em  http://bit.ly/2wTdnLw

 

Serviço:

Cinema Belas Artes

Rua Gonçalves Dias, 1581 

Tel.: (31) 3273-3229

 

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sinfarmig 

Publicada em  30/08/17

 

 

 

 

O presidente do Conselho Municipal de Saúde de Bonfim e diretor do Sinfarmig, Celso Carmo de Jesus, participou da 9ª Conferência Municipal de Saúde da cidade que teve como tema “Os desafios para o SUS que devemos ter”. O evento foi realizado em quatro eixos: Atenção Básica, Vigilância em Saúde, Saúde da Mulher e Gestão. 

Ao todo, estiveram presentes 132 delegados entre usuários e trabalhadores do SUS. Celso Carmo de Jesus e os farmacêuticos Flávia Malta Gomes e Péricles Gonçalves Júnior, apresentaram propostas para a melhoria do sistema de saúde pública municipal que foram retiradas das pré-conferências preparatórias. Após debate, as propostas foram colocadas em votação e as aprovadas estarão no relatório final que irão constar no Plano Municipal de Saúde de Bonfim.

A mesa foi composta pelo Prefeito de Bonfim, Gustavo Ribeiro, o Vice-prefeito José Roberto da Silva, o presidente da Câmara Municipal, João Celso do Carmo, a Secretária Municipal de Saúde, Gisele Rodrigues. Também foi convidado o Analista em Vigilância em Saúde de Confins, Willian Marcos, que ministrou palestra, e Geraldo Rodrigues, Secretário-Adjunto de Saúde de Brumadinho.  

Celso Carmo abordou as dificuldades da gestão do SUS neste momento de redução e congelamento dos financiamentos para ações sociais. Ele citou a  importância da participação ativa e efetiva da população no controle social que fiscaliza e coopera com a gestão do Sistema no âmbito municipal.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação Sinfarmig

Publicado em 28/08/17

 

 

 

O Sistema Único de Saúde – SUS na mídia e a contribuição da comunicação para a saúde individual e coletiva foi o tema do “I Encontro de Comunicação e Saúde realizado pelo Conselho Municipal de Saúde (CMSBH) na manhã desta sexta-feira, 25/08 no auditório da Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte - SMSBH.  

A iniciativa foi da Câmara Técnica de Comunicação do CMSBH, que contou com a presença do diretor do Sindicato dos Farmacêuticos de Minas Gerais, Sebastião Fortunato, jornalistas da imprensa, assessores de comunicação, blogueiros, profissionais da saúde, representantes da Prefeitura de Belo Horizonte – PBH, dos conselhos de classe, sindicatos, conselhos regionais da saúde, usuários e autoridades da área.

A abertura do Encontro foi feita pelo presidente do CMSBH, Bruno Pedralva, que destacou a importância de debater abordagem da saúde pela mídia e no processo de fortalecimento da articulação do SUS. A intenção, segundo ele, é de aproximar os veículos da realidade da saúde para a criação de uma comunicação conjunta. Bruno Pedralva apontou a importância do Controle Social enquanto interlocutor para o acesso a informações sobre o Sistema Único de Saúde. 

Na opinião de Sebastião Fortunato oportunidades como esta são importantes para ampliar a discussão sobre um novo modelo de comunicação em que haja espaço para o acesso a informações relevantes e fundamentais para a população principalmente quando o assunto é saúde. 

 

Fonte: Assessoria de Comunicação Sinfarmig

Publicada em 25/08/17

 

 

A Percepção Sindical quanto aos avanços na Profissão é o assunto que o diretor do Sindicato dos Farmacêuticos de Minas Gerais – Sinfarmig, Rilke Novato, irá apresentar na próxima terça-feira, 29/08, às 14h, no XXXVI Simpósio Acadêmico de Estudos Farmacêuticos – SAEF organizado pela Faculdade de Farmácia da Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG. A Escola estará comemorando também os 106 anos de criação da Graduação e vai abordar o tema As conquistas profissionais farmacêuticas. 

 

A programação terá início dia 29/08 pela manhã com a palestra magna do presidente do Conselho Federal de Farmácia (CFF), Walter da Silva Jorge João, seguida da mesa de debate As conquistas: da teoria à prática. Também serão abordados  O cuidado do paciente no consultório farmacêutico e Os avanços no setor magistral no atendimento ao paciente. O evento tem duração até 01/09. Mais informações e inscrições  http://www.farmacia.ufmg.br/saef/

 

 

Fonte: Assessoria de Comunicação Sinfarmig

Publicada em 23/08/17

Imagem: SAEF/UFMG

 

 

 Campanha Salarial 2017 – Farmacêuticos Hospitalares

 

Após exaustivo e longo período de negociação, marcado, sobretudo, pela perseverança em busca de avanços para o setor dos hospitais, o Sinfarmig assina Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) assegurando a correção das perdas e abono salarial.

 

Foram mais de 10 reuniões de negociações mediadas pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Minas Gerais (SRTE) do Ministério do Trabalho (MT). A negociação começou com uma contraproposta aviltante do Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Casas de Saúde de Minas Gerais – Sindhomg, que desconsiderando totalmente a categoria ofereceu “reajuste zero” alegando dificuldades financeiras do setor hospitalar.

O Sindhomg é velho conhecido do ambiente sindical onde se destaca pela intransigência, sendo considerada a entidade patronal mais irredutível entre os segmentos que o Sinfarmig negocia. Desta vez não foi diferente e o sindicato patronal se mostrou insensível diante das reivindicações apresentadas na pauta aprovada em assembleia pelos farmacêuticos  hospitalares, limitando a negociação às cláusulas econômicas.

Excepcionalmente, este foi um ano em que, pela primeira vez, foram negociadas duas datas-base, ou seja, dois períodos (2015/2016 e 2016/2017) em uma Campanha Salarial.

Contudo, apesar das adversidades, os farmacêuticos hospitalares conseguiram conquistar  reposição da inflação retroativa e, após muitos anos com reajustes limitados à reposição da inflação, um reajuste salarial de 4% a partir da data base 1º de junho de 2017. Lembrando que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) nos 12 meses anteriores a data-base (entre junho de 2016 e maio de 2017) ficou em 3,34%. Ficou garantido que o farmacêutico contratado não poderá ter salário inferior ao do demitido. Foram mantidas as demais cláusulas e condições da CCT vigente.

Para os farmacêuticos que   não   foram contemplados com qualquer antecipação salarial, no período compreendido   entre   01/06/2015   a   31/12/2016 ficou assegurado, além dos reajustes, o pagamento de um abono indenizatório no valor de R$ 400,00.

 

 Para facilitar o entendimento dos cálculos dos reajustes, acompanhem a simulação abaixo:

 

Simulação de reajuste: Salário R$ 1.000,00 em junho de 2015

Junho - 2015 Reajuste 7% em janeiro - 2017 Reajuste de 4% sobre valor reajustado em janeiro-2017 Em outubro-2017 reajuste de 2,49% sobre salário de junho de 2015
1.000,00 1.070,00 1.112,80 1.137,70

 

Agora, simulação incorporando as diferenças salariais e o abono indenizatório, pagos em três parcelas, lembrando que o abono de R$ 400,00 é cota única e foi proposto dividido em três vezes.

Período a receber Salário - Simulação Diferença salarial Abono indenizatório Total
Setembro R$ 1.112,80 R$229,47 R$ 133,33 R$ 1475,60
Outubro R$ 1.137,70 R$229,47 R$ 133,33 R$ 1500,50
Novembro R$1.137,70 R$229,47 R$ 133,33 R$ 1500,50
Dezembro R$ 1.137,70 R$0,00 R$0,00 R$ 1.137,70

 

Redação do texto da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT):

a - Aplicação   do   percentual   de   9,49%   (nove   vírgula quarenta e nove por cento) incidente sobre os salários praticados no mês de junho/2015, (mês em que ocorreu o   reajuste   salarial   da   CCT   anterior   2015/2016), relativos   à   2016/2017,   distribuído,  excepcionalmente, da seguinte forma:

a.1)   7%   (sete   por   cento),   incidente   sobre   os   salários praticados   em   junho/2015   e   quitados   a   partir   de 01/01/2017; 

 

a.2) 2,49 % (dois vírgula quarenta e nove por cento), incidente sobre os salários praticados em junho/2015 e quitados  a partir de 01/10/2017;

 

b) Aplicação   do   percentual   de   4%   (quatro   por   cento), incidente, excepcionalmente,   sobre   os   salários praticados em janeiro de 2017 (já corrigidos pelo índice de 7% previsto na alínea “a.1” da presente cláusula),

relativos   à   2017/2018,   e   quitados   a   partir   de 01/06/2017, data-base da categoria.

 

 

No entendimento do Sinfarmig o momento é bastante adverso para negociações trabalhistas no Brasil. “Sabemos que sindicatos patronais, sobretudo o dos hospitais, usam um velho e nefasto artifício de tentar arrastar indefinidamente a Campanha para vencer pelo cansaço. O desejo dos patrões era fechar a CCT ao seu bel prazer. Com a aprovação da retrógrada Reforma Trabalhista pelo congresso, com vigência para novembro próximo, as perdas poderiam ser ainda maiores, não sendo nada prudente postergar mais ainda as negociações”, afirma o diretor do Sinfarmig, Rilke Novato. Para ele, nestes tempos mais áridos não há alternativa senão aumentar a disposição para a luta. “devemos reforçar nossa capacidade de resiliência e não aceitar a redução dos nossos direitos. Resistir é preciso! Nenhum direito a menos!” 

 

Jornada 12X36

 

A Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) assinada pelo Sindicato dos Farmacêuticos de Minas na última semana prevê que a legalização da jornada 12X36, a jornada de “plantão”. O detalhe é que a decisão é retroativa a 1º de junho de 2016, ficando permitida a prática nas empresas com base na CCT. A partir de então o regime de trabalho será duração de 12 horas por 36 horas de descanso. Isso significa que não terá incidência do adicional de horas extras para os farmacêuticos hospitalares que ultrapassarem de 8 horas até 12 horas diárias ou 44 horas semanais. 

Neste período, o profissional terá direito a um intervalo de 1 hora para alimentação e repouso para ser gozado de acordo com a sua conveniência e em compatibilidade com as atividades a serem executadas. A exigência está descrita no artigo 71 e nos parágrafos da CLT, com exceção para as jornadas regulamentadas por legislação específica de uma determinada atividade. Fica  esclarecido que neste caso não serão consideradas horas extras as que ultrapassarem as 44 horas semanais, desde que o excesso seja compensado na semana seguinte, o que é próprio desta jornada de plantão. 

Também ficou acordado que o a adoção do regime 12x36 não irá interferir em ações trabalhistas em trâmite e que foram ajuizadas até 30 de junho de 2017 com o objetivo o pagamento de horas extras.  

 

 

Clique aqui e acesse a Convenção Coletiva de Trabalho na íntegra

http://www.sinfarmig.org.br/images/201708251233.pdf

 

Fonte: Assessoria de Comunicação Sinfarmig

Publicada em 25/08/17

 

 

 

 

Mais uma Prefeitura recebe ofício do Sindicato dos Farmacêuticos de Minas Gerais – Sinfarmig. Desta vez foi Itatiaiuçu, que tem como Prefeito Municipal Matarazo José da Silva. 

 

O ofício recomenda que a administração municipal contrate profissional para o cargo de farmacêutico na saúde pública. “Considerando que os serviços farmacêuticos existentes no Município de Itatiaiuçu, em obediência á legislação vigente (Lei Sanitária n. 5991/1973 reforçada pela Lei n. 13021/2014) contam com a presença de profissionais farmacêuticos à frente destes serviços”. 

 

A entidade sindical solicita que sejam tomadas as devidas providências para a realização de concurso público visando acabar com a situação de ilegalidade em que o Município está incorrendo.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação Sinfarmig

 

Publicado em 24/08/17 

 

 

 

 

Anunciada mais uma ação absurda no pacote das mudanças que querem empurrar o Brasil cada vez mais para o abismo. Desta vez o senador Antonio Anastasia (PSDB/MG) apresentou um Projeto de Lei (PLS 280/2017) que estabelece transferência da função pública de fiscalização administrativa para o setor privado. Trocando em miúdos seria autorizar o Estado a firmar parcerias privadas em variados setores dando poderes a terceiros de exercer uma atividade da esfera pública. Anastasia sustenta que a sociedade ganharia em eficiência principalmente em relação à falta de pessoal e a qualidade na fiscalização. Mas a proposta repercutiu mal entre as carreiras de Estado. 

A justificativa é de que a mudança seria relevante para novo paradigma jurídico e importante em vários ramos de atividades em que há falta de servidores. Segundo argumentos dele, um meio de contratar pessoas de fora,  por meio de instrumentos permitidos por lei numa modalidade mais barata para os cofres públicos. 

A maior crítica ao projeto é de que algumas administrações deixam de capacitar setores do serviço público para depois entregar estas atividades ao setor privado. Estes e outros questionamentos podem ser feitos assim como opiniões podem ser dadas numa consulta pública que o Senado está disponibilizando sobre o projeto PLS 280/2017. Confira a íntegra do Projeto e exerça a sua cidadania votando aqui  http://bit.ly/2xpNMpJ

 

 

Fonte: Assessoria de Comunicação Sinfarmig

Publicada em 22/08/17

 

Mais Artigos...